Paula Pinto Almeida / Amor  / Educação Respeitosa ♥
Respeito pelos filhos

Educação Respeitosa ♥

Corre o mito de que uma Educação Respeitosa é demasiado permissiva, não tem normas, nem tem limites. Pois bem, ao longo deste artigo proponho fazer-te algumas questões e proponho ainda que as respondas de forma honesta 😉

Normas e Limites na Educação Respeitosa

O que achas que pode mudar quando estabeleces normas e limites em casa e os tornas conhecidos a toda a família? Quando todos ficam a saber essas normas e esses limites, porque estão escritos e assinados por todos os seus membros? Já pensaste que dessa forma, tudo fica mais claro, não restando dúvidas nem espaço para outras interpretações?

Fazes isso? Todos têm claro quais são as normas e os limites da vossa casa?

Acordos com Respeito

O que poderia ser diferente se em vez de lhes dares ordens acordasses com eles algumas coisas… combinasses com eles algumas soluções (que não sejam limites), como por exemplo, o tempo que vão estar no tablet, ou o número de episódios que vão ver de bonecada, ou quando serão feitos os deveres – se serão feitos logo ao chegar a casa, ou depois do teu filho descansar 30 minutos…

Achas que eles iriam colaborar mais, porque se sentiriam parte da solução do problema e não o problema em si, ou não? Ao fazer isso irias nutrir a sua necessidade de “importância”, e aqui falamos sobretudo de que sintam capazes e que sintam que têm um certo poder pessoal. Isso traz-lhes segurança e a sensação de que contribuem para a sua família.

Ordens 

O que achas que pode mudar quando “deixas” de dar ordens todo o dia, ou reduzes ao mínimo o número de ordens? Quantas ordens dás por dia? Põe-te agora no lugar dos teus filhos. Como te sentirias se te estivessem a dar ordens todo o dia? Do estilo: Tira os sapatos daí, limpa a boca, põe o creme, calça os sapatos, calças as meias, calça os chinelos (esta dos chinelos deve arrecadar umas 50 ordens por dia), come, arruma os brinquedos, desliga a tv, etc… Frustração? Dá-te vontade de colaborar frustrado/a?

Quais são as alturas mais críticas do teu dia? Possivelmente o acordar e a preparação para a escola, mas podem ainda ser as refeições, o deitar, ou outras.

Se estabeleceres normas e limites, tanto quanto possível, em acordo com todos os elementos da família, ser-te-á mais fácil que colaborem, que façam o COMBINADO. Porque não tens que dar ordens o dia todo… é verdade… Podes reportar ao que está combinado… “só” isso… Não resolve totalmente, mas é meio caminho andado para uma educação respeitosa.

O Reverso da Medalha

Claro que se tivermos centenas e normas e limites em casa, a criança verá “tudo” como algo que tem que se fazer de determinada forma. Alguém gosta de viver constantemente entre normas e limites? Os miúdos também têm que ter o seu espaço.

Podemos deixá-los escolher o que querem ver na tv, ou o canal que querem ver; o que querem comer de sobremesa – maçã ou laranja?; que casaco gostariam de levar para a escola; que roupa gostariam de vestir –  numa primeira fase de forma mais limitada e depois de forma autónoma e outras pequenas coisas. Não gostas muito da forma de como se vestem quando são eles a escolher? Isso é assim tão importante para ti? E para eles, qual será a importância que tem poderem ser eles a escolher a roupa que vestem? 😉

Tranquilidade numa Educação Respeitosa

O que achas que mudaria em tua casa se lhes dissesses exatamente a mesma coisa, mas em vez de ser aos ansioso/a, aos gritos, ou de mau humor, fosse num tom tranquilo? Ah… isso era bom se eles cumprissem o que eu lhes peço…

O nosso não-verbal (entoação e expressões corporais e faciais) comunica(m) muito… Assumir uma postura e uma linguagem calma fará com que as crianças (ao fim de algum tempo) entendam de que estamos a ser firme, não rudes numa educação respeitosa. E a consistência do comportamento dos pais vai ser muito importante aqui. Se és firmes, não cedes e manténs a calma aprenderão que perante os limites e as normas não haverá cedências, sem necessidade de seres agressivo/a (paciente sim, bastante, contigo e com eles).

Mas, eu às vezes também estou cansado/a e stressado/a… quero ter descanso. É normal. Claro que é normal. E então, o melhor é parar e pensarem de que é que estás a necessitar, e enquanto adulto/a que és, pensar como a podes colmatar. Não será a criança a ter que o fazer, porque tu é que és o adulto/a da relação.

respeito mutuo

Expectativas

Nivelarmos as nossas expectativas enquanto pais pode ainda ser uma boa ideia para darmos uma educação de respeito aos nossos filhos. Como? Quando os teus pequenos começaram a comer ou a andar, repeitaste o seu tempo? Respeitaste que iriam deixar cair comida no chão e nas pernas, nas roupas e na cadeira da papa (e sabe-se lá mais onde…)? Quando começaram a andar respeitaste que eles demorariam o seu tempo até se equilibrarem e até começarem a andar pelos seus pés rigorosamente sozinhos? E a subir e a descer escadas, o mesmo? Pois bem, sabes quando é que o cérebro humano se torna adulto? Por volta dos 20, 21 anos.

Eles estão a aprender, vão-nos testar, vão tentar negociar e procurar esticar os limites.

Eles fazem o papel deles e nós o nosso. Se educarmos desde o amor, do respeito, da empatia e da conexão para com eles e para connosco, tudo se levará melhor. E os neurónios espelho estão cá também para nos ajudar nesse sentido. O exemplo que lhes damos é muito importante para conseguirmos praticar uma educação respeitosa.

 

Encontra mais vezes a felicidade na tua família! ♥

#beyounique

 

-♥-

Descarrega aqui os materiais que preparei para trabalhares em ti e com os teus pequenos:

 

Sem comentários

Deixa o teu comentário e /ou ideias para o próximo artigo